Patrocínio

Post Top Ad

Destaques

UBS são portas de entrada para tratamento contra a dengue


Os primeiros sintomas leves da dengue, como dor de cabeça, dor no corpo e febre devem ser tratados diretamente nas unidades básicas de saúde. A informação deveria ser de conhecimento geral, mas apenas 26% das notificações para dengue feitas na rede pública partiram das UBS.

Nas unidades, o atendimento a casos suspeitos recebe a triagem para que a classificação de risco seja determinante. No local, o usuário recebe o Cartão da Dengue, onde estão registrados os dados importantes sobre o estado de saúde, além de orientações para auto avaliação diária. As unidades possuem equipes capacitadas para fazer essa leitura de cada pessoa que chega com suspeita de dengue.


A classificação de risco estabelece em qual dos grupos o usuário encontra-se e qual o melhor tratamento. Para os grupos A e B, o tratamento é controlado pelas unidades, os demais (C e D) com sintomas mais graves, são encaminhados às UPAS e Hospital Municipal.


“A população precisa compreender esse fluxo, e procurar a unidade básica ao primeiro sintoma da doença, para que as notificações sejam feitas da maneira correta e não superlotem as UPAS”, explica o diretor de Atenção Básica, Ricardo Lacerda.


Ao longo de três meses (agosto, setembro e outubro), as unidades realizaram atendimento a 588 casos para dengue nos grupos A e B, enquanto as UPAS registraram 951 atendimentos. O maior fluxo de atendimento na Atenção Básica foi registrado na unidade Padre Ítalo, referência para o atendimento, com 466 registros.

Foz têm até o momento 2.831 notificações para a dengue e 182 casos confirmados. Uma pessoa morreu vítima da doença. Os dados são do ano epidemiológico da dengue, que iniciou no mês de agosto.

 

Conheça os grupos e suas características:


GRUPO A
Se o usuário não apresentar nenhuma comorbidade, não tem menos de 2 anos e mais 60, não apresenta manchas vermelhas pelo corpo e tem a prova do laço negativa.
 
GRUPO B
Se possui um dos sintomas acima. Para ambos grupos, o tratamento é feito com medicação para dor e hidratação via oral.
 
GRUPO C
Dores abdominais intensas, vômitos, alteração de consciência, tontura, fraqueza, desmaio, exame específico hematócrito, com sinais de alarme ou impossibilidade de hidratar-se sozinho.

GRUPO D
Sinais de gravidade, hipotensão severa


Fonte: AMN

Postagens relacionadadas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar em nosso site, logo ele estará disponível para todos os usuários.

Patrocínio