Patrocínio

Post Top Ad

Paraguai

Criança pode ter sido morta em ritual satânico no Paraguai



Um paraguaio de 25 anos foi preso no último domingo (1) suspeito de participar do rapto e morte da menina Naidelin, de 7 anos, morta e jogada no Rio Monday, na cidade de Minga Guazú, na região de Cidade do Leste (PY). A polícia paraguaia investiga se a morte faz parte de um ritual satânico.

A criança foi raptada no sábado (29) às 18h20, no bairro Kavure’i, em Minga Guazú, em uma rua perto de casa quando dois homens a agarraram e colocaram em em veículo Toyota Prêmio, cor azul, sem placas.
A polícia inciou imediatamente buscas por toda a região e no domingo conseguiu prender três suspeitos, entre eles uma mulher. Foram detidos Héctor Eduardo Martínez Ñunes, de 25 anos; sua mãe Limpia Concepción Ñunes Goiburú e Elvio Ovidio Cardozo Cristaldo, de 32 anos. As informações foram repassadas pela promotora Vanessa Candia, do Ministério Público do Paraguai.
Héctor confessou que matou a menina e jogou o corpo às margens do Rio Monday. Na casa dele, no Km 23 de Minga Guazú, foi encontrado o Toyota de cor azul. “Matei e agora estou salvo”, teria dito Héctor Ñunez, dando a entender que se trata de um ritual.

Enquanto a polícia realizava buscas de bote pelo rio, os policiais encontraram em terra um corpo incinerado, aparentemente de um menino, no local denominado Calle 26 Monday, a 15 Km da Ruta Internacional e da zona urbana de Minga Guazú.
Não há certeza

A promotora Vanessa Candia disse que não é possível afirmar se o corpo encontrado é ou não da menina sequestrada. O médico forence Eduardo Cano, que fez a primeira análise no corpo informou que os restos ósseos estão incompletos devido a queima total de alguns membros. De acordo com Cano, o corpo mede 1,35 cm e não se pode determinar o sexo ou a causa da morte. O corpo foi enviado para o laboratório forence que tentará uma identificação pela arcada dentária.

Outra versão

Apesar da primeira hipótese ser de ritual satânico, a polícia tem uma segunda linha de investigação para o crime. O suspeito preso manteve um relacionamento por alguns anos com a tia da criança desaparecida.

Há um mês a mulher terminou o relacionamento devido a violência física que sofria do namorado. No último sábado, Héctor recebeu uma ordem judicial de afastamento da ex-namorada e ele teria jurado vingança.

Fonte: Assessoria

Postagens relacionadadas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar em nosso site, logo ele estará disponível para todos os usuários.

Patrocínio